A realidade do purgatório

De Wiki Canção Nova
Ir para: navegação, pesquisa
Glcn002280043309.jpg
Todos os que o Pai me dá virão a mim e aquele que vem a mim eu não rejeitarei, pois eu desci do céu para fazer não a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. Ora a vontade daquele que me enviou é que eu não perca nenhum do que eles me deu, mas que eu os ressuscite no último dia. De fato essa é a vontade de meu Pai que todo aquele que vê o filho e nele crê tenha a vida eterna e eu o ressuscitarei no último dia.

É importante nos sabermos que a realidade do purgatório é a consequência da misericórdia. E da misericórdia infinita de Deus que vai além de todos os limites. Ainda na eternidade nós somos objetos da misericórdia de Deus.

(Livro da Sabedoria capitulo 3)As almas dos justos porém estão na mão de Deus, tormento algum as atingirá. Aos olhos dos insensatos passaram por mortos, sua partida pareceu uma desgraça e seu afastamento uma catástrofe. Entretanto eles estão na paz. Mesmo que a vista dos homens tenham sido castigados sua esperança era plena de imortalidade. Depois de leves correções receberam imensos benefícios. Gente embora seja terrível o que nós passaremos no purgatório em comparação com o céu não é nada o que vai se passar no purgatório. Depois de leves correções receberam imensos benefícios. Deus os provou e os achou dignos de si. Purificou-os como ouro no crisol e os acolheu como a oferta de um holocausto. Nós precisamos estar completamente purificados para entrar no reino dos céus.

Os que nele confiam compreenderão a verdade e os que são fieis no amor permanecerão com ele, pois a graça e a misericórdia são para os seus eleitos. Deus usa de misericórdia para conosco é por isso que Deus nos deu essa chance. Pelos infinitos méritos de nosso Senhor Jesus Cristo o Pai nos deu essa chance de depois da morte sermos ainda purificados. Muitas vezes nós somos criticados por rezar pelos mortos, pois aqueles que foram para o purgatório não podem fazer nada por si, daí eles dependem de nós das nossas orações.

Os Santos dizem que o fogo do purgatório é semelhante ao fogo do inferno. Enquanto o fogo do inferno é para tormentar aqueles que estão condenados esse é o mesmo fogo daqueles que se salvaram mais ainda não estão purificados, esse fogo acaba sendo para eles purificação. Sofrem terrivelmente, mas é um sofrimento igualzinho ao sofrimento do ouro para purificação. Se nós morrermos ainda com tantas impurezas, é no purgatório que seremos purificados. Dos pecados que nós já cometemos nós precisamos fazer um bruta penitência, e fazer o bem para reparar o mal que nós fizemos. Nós precisamos fazer muitas coisas para nos redimir dos nossos pecados.

A gente se converte e é perdoado, mas não ficam assim não. Isto é, você não vai conseguir pagar todos os seus pecados aqui, você vai pagar no fogo do purgatório. Daí você percebe a misericórdia de Deus nas indulgências. A indulgência plenária é quando alguém reza por sua alma e os pecados que você estava devendo ficam pagos. Quando nós compreendemos a beleza que é a realidade do purgatório e o que é a beleza da indulgência nós nos abrimos. O sacrifício de Cristo nos perdoa, mas os danos que nós cometemos tem que ser refeitos. Por causa dos pecados que nós cometemos é que nós precisamos ser santos. A única coisa que repara os absurdos que fizemos é a nossa santidade. É por isso que os santos quiseram ser santos, primeiro por causa de Deus e segundo por que eles se viam pecadores. O Senhor quer a sua ressurreição. Nós só podemos ser santos, nós precisamos ser santos.

Veja mais

Palestras Canção Nova