Alquimia da dor

De Wiki Canção Nova
Ir para: navegação, pesquisa

Padre Fábio de Melo - 26/08/2007 - código CD 25.04258 DVD 26.04258

Adquira esta Pregação

Nesta Pregação, Padre Fábio de Melo, fala que para se chegar a redenção, é preciso passar pelo processo da dor, pois a dor contemplada naquilo que ela é capaz de fazer, nos torna pessoas redentoras, possoas que não fica somente nas situações adversas, mas que utiliza dessa dorm para ser tornar pessoas melhores na nossa forma de viver e encarar a vida.


Local: Rincão do Meu Senhor. / Cachoeira Paulista. / Assunto: Conversão.

Horário: 14:30 Hs. / Káiros.


Conteudo da Pregação


Hoje nós temos a alegria de ter duas leituras que acabam sendo um complemento de toda a reflexão que fizemos pela manhã. Quando nós dizíamos que a configuração ao Cristo que acontece em nós por força do Espírito Santo não é apenas a prática de uma religião infértil, não é apenas seguir um ritual religioso, mas, sobretudo é a gente descobrir que a nossa identidade sofreu modificações.

É tão fácil a gente cair na religião do mito – Jesus já nos alertava o tempo todo para o culto dos ídolos – e a idolatria é um dos principais problemas religiosos no mundo. Esse é um risco que todos nós corremos, quando a nossa admiração por alguém, ou por uma pessoa se torna essencial, colocada acima, em termos de importância do que aquele que a pessoa anuncia.

Decepcione-se comigo, mas que a sua decepção comigo não seja uma decepção por Aquele a quem eu anuncio. Decepcionar com o humano, porque é frágil, tem sono, fica mal-humorado, tudo bem, mas não confunda a minha pessoa com Aquele a quem eu anuncio.

Temos que viver uma religião que seja capaz de mexer com as estruturas da nossa consciência, a ponto de nos fazer acordar para tudo aquilo para o qual nós dormíamos e que não sabíamos que existia dentro de nós.

Já estávamos inconscientes e acostumados com o nosso jeito ciumento de amar, jeito ciumento de possuir as pessoas, achando que isso era amor; eu já era desonesto nas pequenas coisas e já estava acostumado. Até que um dia uma palavra profética varou as estruturas da minha vida e me incomodou.

Uma palavra profética tem o poder de fazer algo, de acordar os surdos e aqueles que estão dormindo e que já não escutam mais nada, num sono letárgico, ou até mesmo num cumprimento de rituais inférteis que já não servem de nada para a nossa salvação.

É a continuidade da Santa Missa que nos salva, é a história que fica diferente em cada comunhão comungada, cada mesa partilhada, cada confissão realizada, é o que se segue dali que nos salva. O sacramento não é a mágica de um momento, mas é a continuidade da vida que vai sendo incorporada, porque o sacramento aconteceu em mim.

É disso que Jesus fala: “Não venha me dizer o que você fazia antes, não me importa o que você fazia. Importa-me o que você era. O que faz diferença para mim é o quanto a minha Palavra conseguiu transformar o seu coração a ponto de transformá-lo numa pessoa melhor”. De você olhar para trás e dizer: “Antes eu era assim, e pela força da Eucaristia, do Evangelho, do terço, eu mudei” – todas as manifestações religiosas que você pode ter e viver. Você percebe que a sua vida não é mais a mesma, porque você mudou o seu jeito de pensar, modificou o seu jeito de ser.

A religião que Jesus quer de nós é esta: que você fixe os olhos céu, que você busque o céu.

Quer saber o que vai lhe causar dor? Descubra o processo de saber como educar. Nós somos capazes de seguir uma regra a partir do momento em que a conhecemos. O Deus que nós anunciamos não é uma ameaça.

Se cada um de nós hoje tivesse a oportunidade de contar o que passamos, de escrever a nossa história, tudo o que tivemos de suor, sofrimento e sangue, não teria editora suficiente para tantos livros. Alegria é plantada na dor. Descubra as cicatrizes da sua alma, e saberemos o quanto você é feliz a partir delas.

Nesse calvário, você tem duas opções: ou esquece o peso da cruz ou olha que tem um Cirineu do seu lado. Religião que só nos mostra a cruz é uma religião infértil, porque eu não sou filho do calvário, eu sou filho do Ressuscitado - e quem eu anuncio sempre é o Ressuscitado.

Você não pode ficar parado no "calvário da sua vida" - todos nós passamos todos os dias por ele. Humanidade é isso, é trazer a luz do Ressuscitado para nós e ver que há muito para ser limpo em nós. O anúncio do Evangelho é para nós aprendermos que não temos que ficar com as nossas poeiras, e impurezas.

Você acha que a gente vai ser santo sem sacrifício? Quando eu acendo uma vela com , eu acendo a fé dentro de mim também. A gente tem que fazer o sacrifício sim. Quando eu deixar de comer algo é para eu ser melhor. Tem gente que espera a Quaresma inteira sem beber, mas não vê a hora de ela acabar para "encher a cara" de novo. Se a nossa religião não colocar um pouco de sorriso em nós não vai adiantar de nada.

Eu sei das minhas lutas, mas estou satisfeito, porque eu não me prendo àquilo que eu não posso, mas sim àquele que me anima. A dor sinaliza que alguma coisa precisa ser cuidada. Nós queremos a [[ressurreição][], mas não queremos o calvário.

A dor é o preparo. A semente passa por todo um processo de crescimento, mas ela sabe que se não deixar de ser o que é, não atingirá seu objetivo. Não desista, está apertado, está achando que está difícil, mas a dor faz parte do processo. A sua dor não pode ser em vão. O que você faz com a sua dor? Faz um quadro? Faz música? A genialidade está em transformar a lata velha em ouro. Ou a dor me destrói, ou eu a transformo em processo de ressurreição.

"Me bateu uma tragédia terrível!" Mas eu não paro. Vou buscar força, eu não posso mudar os fatos, mas posso mudar o jeito de ver através dos fatos. Na nossa vida espiritual é assim. Às vezes, a gente quer chegar sem ir. Não se chega a lugar nenhum sem dar o primeiro passo. Nossa vida é um desafio diário e não tem tréguas. É um "lapidar" constante, tirando tudo o que é excesso em nós. Não tem jeito de amar sem sofrer. Quem ama está o tempo todo querendo cuidar.

Se eu não tivesse sofrido do jeito que eu sofri, se eu não tivesse amado do jeito que eu amei, eu não teria nada para contar a vocês.

Não sinta vergonha de nada que você sofreu, porque depois que passou por aquele momento, você sabe o que você sofreu para chegar onde chegou.


Detalhes


  • Animação: Alquimia da dor, Karina
  • Vestimenta: Usava casula verde.
  • Evangelho proclamado em Espanhol.
  • Fala que a nossa configuração a Cristo, acontece pela força do Espirito Santo.
  • Fala do E-mail que recebeu do André, que é Cristão, mas não sofreu as mudanças devidas.
  • Fala que a idolatria é a pior coisa do mundo.
  • Fala que pode-se decepcionar com ele, mas que se podem-se decepcionar com aquele que ele anuncia.
  • As coisas não podem ser do jeito que pensamos.
  • Fala que temos que emprestar sabor para as coisas.
  • O sacramento não é mágica de um momento.
  • Jesus não se importa com o que fazemos, mas o que somos como pessoa.
  • Não podemos correr atrás do sagrado por medo do inferno, mas por causa do desejo verdadeiro de Deus.
  • Educar faz sofrer, o processo de educar requer sofrimento.
  • Obedecemos uma regra quando sabemos o valor da regra.
  • O processo de chegar a salvação, fere os pés.
  • Se temos um calvárioa para subir, temos motivo para viver bem.
  • As grandes alegrias são semeadas na dor.
  • Não tenha medo de expor as suas cicatrizes ao mundo.
  • Muitas vezes não conseguimos ver o Cirineu que está ao nosso lado, por que só olhamos para a cruz.
  • Não somos filho do calvário, mas somos filho do ressuscitado.
  • Não podemos ficar parado no calvário, pois ele faz parte do nosso cotidiano.
  • Aprenda com a músculatura que você tem, o nosso músculo requer estimulo.
  • Sua mão dizia, estou com a dor nas cadeiras, mãe estou com dor nos bancos.
  • Fala que fomos criado e começamos a ficar de pé.
  • O Homem tem próstata por causa de fazer Xixi de pé.
  • Conta a História do menino que ganhou um Bezerro e o carregava nas costas.
  • Uma vela ascessa por si mesmo não muda o mundo, mas a intenção que acontece por dentro do nosso coração.
  • Fala sobre o sentido do Jejum.
  • 4 Kg batata e 200 g de bacalhau.
  • Barulho do Alarme do Carro.
  • A dor vem para nos alertar que existe alguma coisa errada, que precisa ser cuidada.
  • Fala sobre o processo de sofrimento da semente.
  • A mariposa só é mariposa, se ela passa pelo casulo apertado.
  • Canta: Não desita do amor, fala sobre o compositor dessa música, (amigo do Padre Fábio).
  • O que você faz com aquilo que você sofre? Você transforma.
  • Fala sobre as sintonias de Bethovem.
  • Não dá para aprender a andar sem cair.
  • Hoje queremos chegar sem ter que ir.
  • Canta: Não dá mais para voltar.
  • Fala sobre o Rodrigo Badiano, que dizia que sua mãe não gostava do Sorvete, mas dizia que não gostava por que não tinha dinheiro para comprar.
  • Fala da sua mãe que vendia chorisso.
  • Fala de uma Época que não tinha nem o que comer, sua mãe comprou um Arroz muito ruim, depois o dono do comércio perguntou, isso é para dar para os porcos.
  • Padre fala que sua origem é comendo Canjiquinha.
  • Termina cantando, não dar mais pra voltar.