Dom José Luiz Ferreira Salles

De Wiki Canção Nova
Ir para: navegação, pesquisa
Dom José Luiz

Nasceu em 23 de janeiro de 1957, na cidade de Itirapina (SP). É filho de Luiz Ferreira Salles (falecido) e Abigail Aparecida Leme Soares Salles.

Em 1970 entrou para a Congregação do Santíssimo Redentor. Fez sua profissão religiosa em 31 de janeiro de 1982. Foi ordenado sacerdote no dia 14 de dezembro de 1985.

Estudos: o ensino fundamental fez no grupo escolar de Itirapina e o ensino médio no Seminário Redentorista Santa Teresinha em Tietê (SP). Cursou Filosofia na Pontifícia Universidade Católica de Campinas (SP) e Teologia no Instituto Teológico São Paulo, em Ipiranga (SP).

Atividades exercidas: trabalhou nas Missões Populares, residindo em Tietê (SP), em 1986 e 1987 e residindo em Garanhuns (PE), de 1988 a 1996, onde foi coordenador da equipe missionária; de 1993 a 1995 foi conselheiro na vice-província do Recife (PE); de 1996 a 2004, foi eleito superior vice-provincial da vice-província Redentorista de Recife; de 2002 a 2004, foi administrador paroquial na paróquia de São Pedro, em Caraúbas, diocese de Campina Grande (PB); em 2005 foi nomeado reitor da Casa de Teologia Inter-Provincial dos Missionários Redendoristas em Fortaleza.

Explicação do brasão

Dom José Luiz é missionário redentorista, nascido no Estado de São Paulo, mas que tem exercido a maior parte de seu ministério no nordeste. Ao escolher os símbolos para o seu brasão, quis integrar ao mesmo tempo sua pertença à Congregação missionária e sua vida dedicada ao nordeste e, nos últimos anos, em Fortaleza.

A Cruz com a lança e a esponja são símbolos tirados do emblema oficial da Congregação do Santíssimo Redentor, a que pertence D. José Luiz. Elas expressam a certeza do lema congregacional: Copiosa apud Eum Redemptio - Junto d'Ele (Jesus) a Redenção é abundante. A simplicidade da cruz significa que ela é acessível a todos, a começar dos mais pobres.

A mão que apresenta a cruz e o fundo vermelho do escudo lembram o emblema das Missões populares redentoristas: a mão representa a mão do missionário, que sai ao encontro de todos para lhes oferecer o Redentor, e o vermelho lembra o amor infinito de Deus, que, através do seu Filho, quer envolver a todos em seu amor misericordioso.

O monograma de Maria recorda o ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, mãe da bela esperança e estrela da Evangelização. E a jangada sobre as ondas do mar simboliza o nordeste, principalmente o Ceará, onde Dom J. Luiz vai exercer sua missão episcopal.

Referência:

Arquiodiocese de Fortaleza