EIC Dom Bosco

De Wiki Canção Nova
Ir para: navegação, pesquisa

Um Projeto de Inclusão Digital e Social

Placa Inaugural da EIC Dom Bosco no dia 28/08/2007

A inclusão digital hoje é, segundo os especialistas, fator fundamental no desenvolvimento socioeconômico e político de uma sociedade. A Escola de Informática e Cidadania Dom Bosco têm como característica principal a preocupação com a pessoa inserida em uma realidade de exclusão social e digital. Ao utilizarmos a informática como ferramenta de inclusão digital provocamos através de debates a respeito de cidadania, produção de trabalhos e construção de conhecimentos a inclusão social. Do ponto de vista de uma comunidade, a inclusão digital significa aplicar as tecnologias a processos que contribuam para o fortalecimento de suas atividades econômicas, de sua capacidade de organização, do nível educacional e da auto-estima de seus integrantes, de sua comunicação com outros grupos, de suas entidades e serviços locais e de sua qualidade de vida.

O Núcleo Social da Fundação João Paulo II, trabalha hoje com um público que é composto pelo mais variado tipo de exclusões e é com este público tão necessitado de inclusão que a EIC Dom Bosco pretende trabalhar. Nosso trabalho constitui-se então de ações que fomentem a construção do conhecimento acerca das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC’s), e a consciência histórica, política e ética associada a uma ação cidadã e de transformação social, ao mesmo tempo em que se qualificam profissionalmente, cumprindo assim o maior objetivo das obras sócias da Fundação João Paulo II “Formar Homens Novos para um Mundo Novo”.

Através de uma equipe de educadores estamos implantando os trabalhos concretos direcionados para a transformação humana, social e profissional desenvolvendo habilidades e competências sempre visando não apenas o uso da Tecnologia, mas a integração deste uso à realidade diária do individuo e da comunidade local. Para tanto faremos um diagnóstico da realidade local em que vivem nossos alunos levando em conta seus problemas, sua história, seus valores e suas maiores necessidades, associamos este diagnóstico ao contexto sociopolítico para a partir daí definir projetos em que a informática serve como fator de inclusão.


CDI – COMITÊ PARA DEMOCRATIZAÇÃO DA INFORMÁTICA

O Comitê para Democratização da Informática é uma organização não-governamental sem fins lucrativos que, desde 1995, desenvolve o trabalho pioneiro de promover a inclusão social utilizando a tecnologia da informação como um instrumento para a construção e o exercício da cidadania.

Através de suas Escolas de Informática e Cidadania, criadas principalmente em parceria com organizações comunitárias, o CDI implementa programas educacionais no Brasil e no exterior, com o objetivo de mobilizar os segmentos excluídos da sociedade para a transformação da sua realidade.

A organização desenvolve projetos que atendem a comunidades de baixa renda, públicos com necessidades especiais, portadores de transtornos psiquiátricos, jovens em situação de rua, populações indígenas e comunidades carcerárias, entre outros. O CDI acredita que o domínio das novas tecnologias não só cria oportunidades de trabalho e geração de renda, como também possibilita o acesso a fontes de informação e espaços de sociabilidade que propiciam a busca coletiva de soluções para os problemas enfrentados pelas comunidades.

O objetivo do CDI é promover a apropriação social da tecnologia por diversos tipos de públicos, utilizando-a como ferramenta para estimular a cidadania ativa e o empreendedorismo, fomentando o desenvolvimento político, social e econômico dos países nos quais a organização atua. De acordo com esta proposta, incentivamos a liberdade de escolha e trabalhamos tanto com software proprietário quanto livre, procurando oferecer aos alunos a possibilidade de optar pelo uso das ferramentas que mais se adequam às suas necessidades.

OBJETIVO GERAL

Atender a população menos favorecida da cidade de Cachoeira Paulista e os funcionários da Fundação João Paulo II, utilizando as tecnologias da informação e comunicação (TIC’s) como instrumento para a construção e o exercício da cidadania, proporcionando assim a formação de homens novos.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Desenvolver habilidades e competências no uso de softwares (Sistema operacional, Windows, Word, Excel, PowerPoint, Internet) e hardware; Desenvolver ações que promovam a cidadania e a inclusão social; Promover a profissionalização à medida que se adquire habilidades e competências no uso da tecnologia; Inserção na Comunidade-Desenvolvimento de um projeto de auto sustentabilidade;

META

Neste ano de atuação da EIC Dom Bosco, temos como meta formar e capacitar alunos para que através da utilização da informática como ferramenta sejam transformadores sociais e cidadãos capazes de construir sua própria história.


PÚBLICO ALVO

Funcionários da Fundação João Paulo II; Funcionários da Obra; Funcionários terceirizados; Público atendido pelas obras sócias do Núcleo Social. Adolescentes atendidos no PROGEN; Pais de alunos do PROGEN; Deficientes auditivos atendidos no Projeto Mãos que Evangelizam; Idosos atendidos no Grupo de Idosos do Posto Médico Pe. Pio; Crianças cujas mães são atendidas na Casa do Bom Samaritano;

Público Externo: Proposta de estabelecer parceria com o Ministério Público para atender aos adolescentes em regime de liberdade assistida; Estabelecer parcerias com Escolas Públicas;