Maria combatente por excelencia

De Wiki Canção Nova
Ir para: navegação, pesquisa

Pe Bruno - 21/08/2010 - código CD 25. 07081 DVD 26. 07081

Adquira esta Pregação pela Central de Atendimento 24 horas (12)3186 2600


Pe Bruno


A primeira coisa para combater o 'bom combate' é a vida de oração, só se vence este combate com oração. A segunda coisa que vimos pela manhã com o Padre José Augusto é a Palavra de Deus, precisamos ser pessoas de oração e da Palavra, e a terceira coisa, que vamos ver agora para vencer o combate é a Virgem Maria, você precisa assumir a Virgem Maria, pois ela foi ao combate que animou os Apóstolos, Maria é sua companheira e sua amiga.


Local: Rincão do meu Senhor / Cachoeira Paulista.


Horário: 14:20 Hs. / Acampamento no combate da oração


Conteudo da Pregação


Nós vivemos um eterno combate, a vida de um cristão é um combate constante e nós precisamos fazer uma leitura dos tempos de hoje. Quando rezávamos por este acampamento, o que nos vinha era a seguinte pergunta: Qual o sustento do cristão para vencer o combate ?

A primeira coisa para combater o 'bom combate' é a vida de oração, só se vence este combate com oração. A segunda coisa que vimos pela manhã com o Padre José Augusto é a Palavra de Deus, precisamos ser pessoas de oração e da Palavra, e a terceira coisa, que vamos ver agora para vencer o combate é a Virgem Maria, você precisa assumir a Virgem Maria, pois ela foi ao combate que animou os Apóstolos, Maria é sua companheira e sua amiga.

Somos chamados a imitar a Virgem Maria, a imitação é a mais dedicada homenagem que podemos prestar a uma pessoa, Maria é a combatente por excelência. Vivemos em um mundo que imita muitas coisas e pessoas, muitos modismos, mas imitar a Virgem Maria é imitar Jesus. Maria é um exemplo de virtude, para enfrentar o bom combate precisamos de todas as virtudes que a Virgem Maria traz em si. A Virgem Maria mostra para nós a virtude da caridade e principalmente a virtude da humildade, pois quem se humilha será exaltado, e ela foi muito humilhada, e diante de toda a humilhação silenciou. Muitas vezes vamos precisar silenciar, só vamos vencer este combate se assumirmos Maria como um católico verdadeiro que precisa ter a coragem de saber imitar a Virgem Maria, imitar a Imaculada.

“Enquanto Jesus assim falava, uma mulher levantou a voz no meio da multidão e lhe disse: Feliz o ventre que te trouxe e os seios que te amamentaram. Ele respondeu: Felizes, sobretudo, são os que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática”. (Lc 11, 27-28)

Imagine uma multidão impressionada, extasiada com as palavras de Jesus, e do meio desta multidão uma mulher deve ter imaginado no coração o seguinte: 'eu queria ter um filho assim'. Foi por isso que ela levantou a voz e disse: “Feliz o ventre que te trouxe e os seios que te amamentaram”. Jesus ao responder a esta mulher não foi duro e nem grosso ao falar de sua mãe, pois o Senhor Jesus falou isso, Ele quis ensinar que Maria era feliz, mas muito feliz é quem o põe a Palavra de Deus em pratica. Se você pensa que neste momento Jesus foi  atrevido, na verdade, Ele quis mostrar o que Maria respondeu durante toda a sua vida: “Faça-se em mim segundo a tua palavra”. A Virgem Maria não teve apenas um papel físico na vida de Jesus, não foi apenas aquela que O gerou, mas Maria Santíssima fez em tudo a Vontade de Deus, viveu a Palavra de Deus em toda a sua vida

Para viver o bom combate, temos que ser disciplinados, determinados, ousados. Maria aceitou travar o bom combate e viveu muitas dificuldades, mas ela só venceu o bom combate porque vivia em tudo a Palavra de Deus. A Virgem Maria era combatente, seja combatente também, Maria sofreu a dor de uma condenação injusta do seu Filho, mas ela aceitou a vontade de Deus. Nos tempos de hoje nós precisamos aprender com Maria a sofrer junto de Deus, sem recuar.

Maria até no momento da Cruz, não deixou de combater, Maria sofreu, mas não abandou Jesus, permaneceu fiel até o fim. Ela poderia ter desistido, ter abandonado Jesus, poderia ter dito não ao anjo, mas ela foi fiel pela escuta e pela vivência da Palavra de Deus. O papel da Santíssima Virgem Maria é de animadora da Igreja, de levar a alegria em meio ao sofrimento, precisamos ser alegres em meio ao combate como Maria. Quem quiser ser meu discípulo renuncie a si mesmo, e como ninguém, a Virgem soube agarrar a sua Cruz.

“Então os apóstolos deixaram o monte das Oliveiras e voltaram para Jerusalém, à distância que se pode andar num dia de sábado. Entraram na cidade e subiram para a sala de cima onde costumavam ficar. Eram Pedro e João, Tiago e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão Zelota e Judas, filho de Tiago. Todos eles perseveravam na oração em comum, junto com algumas mulheres — entre elas, Maria, mãe de Jesus — e com os irmãos dele” (At 1, 12-14)

São Bernardo, doutor da Igreja, diz: Deus quis que recebêssemos tudo por Maria. E sem dúvida o Salvador veio por meio dela, e o papel de Maria é ser mãe da Igreja, mãe do povo de Deus. São Lucas faz questão de apresentar Maria como a mãe de Jesus, aquela que venceu o bom combate, que foi fiel.

Precisamos ser determinados, ousados e viver a Palavra, temos que ter discernimento para viver o combate, precisamos ser dóceis às inspirações de Deus até para viver nossa vida de oração e vencer o combate.

Precisamos assumir a Virgem Maria e saber esperar em Deus. Maria pisou a cabeça da serpente e nos ajuda a viver o bom combate, é a vencedora a batalha. O demônio não vai tentar quem já é dele, mas somente aqueles que estão na luta


Detalhes


  • Palavra Lc 11, 27-28, At 1, 12-14
  • Precisamos ser determinados, ousados e viver a Palavra, temos que ter discernimento para viver o combate, precisamos ser dóceis às inspirações de Deus até para viver nossa vida de oração e vencer o combate.
  • Nós vivemos um eterno combate, a vida de um cristão é um combate constante e nós precisamos fazer uma leitura dos tempos de hoje.
  • Quando rezávamos por este acampamento, o que nos vinha era a seguinte pergunta: Qual o sustento do cristão para vencer o combate ?
  • Maria até no momento da Cruz, não deixou de combater, Maria sofreu, mas não abandou Jesus, permaneceu fiel até o fim. Ela poderia ter desistido, ter abandonado Jesus, poderia ter dito não ao anjo, mas ela foi fiel pela escuta e pela vivência da Palavra de Deus