O perdão fonte de amor

De Wiki Canção Nova
Ir para: navegação, pesquisa

Ricardo e Eliana Sá - 31/07/2010 - código CD 25. 07022 DVD 26. 07022

Adquira esta Pregação pela Central de Atendimento 24 horas (12)3186 2600 ou shopping.cancaonova.com


Erro ao criar miniatura: Não foi possível salvar a miniatura no destino
Ricardo e Eliana Sá


Quando o perdão não é dado, nas coisas mais simples do dia a dia, deixa as mágoas guardadas dentro de nós, e reagimos de diversas formas, com cara feia, ou indo dormir mais cedo, evita a presença do outro, faz aquele “silêncio mortal”, etc. Tudo porque nós sabemos como magoar o outro


Local: Centro de Evangelização Dom João Hipolito de Morais / Cachoeira Paulista.


Horário: 14:20 Hs. / Acampamento para casais


Conteudo da Pregação


Meus irmãos, nesta tarde nós queremos continuar falando sobre o amor de Deus que nos transforma, entendendo que a mais importante transformação que esse amor deseja realizar é em cada um de nós. Como diz o tema desse acampamento de oração: “Quem tem que mudar sou eu”.

Nós corremos o risco de seguir nossa vida cristã compreendendo, ou até experimentando, o amor de Deus como se tivéssemos que ser perfeitos para sermos amados por Ele, mas na verdade, Deus nos ama incondicionalmente. Ele ama a mim e a você exatamente como nós somos

Nossa conversão é uma decisão de quem tem juízo, converter-se é coisa de gente que está colocando a “cabeça no lugar”, porque se depara com tanto amor que procura adequar a vida a esse amor.

O amor presente em nós é Deus, então quando nós amamos é Deus amando através de nós... quando o pai ama seu filho, afetivamente (com carinho, dando de seu tempo...) é Deus amando. Assim também, quando os pais amam efetivamente seus filhos (dando condições para que estudem, se alimentem) é Deus amando. É por isso que o amor com o qual amamos santifica em primeiro lugar, a nós mesmos. E por consequência, nossa família é santificada.

É caminho e santificação amar a sua esposa, o seu marido, os seus filhos, mas em primeiro lugar somos nós que nos santificamos. Essa é a nossa grande conversão do dia a dia. Você veio para o acampamento e pensou: “agora vai ser a hora, ele vai ouvir tudo e vai voltar para casa novinho em folha”, mas eu te digo que quem tem que mudar é você.

O amor afetivo e o amor efetivo precisa acontecer entre o casal e na família. Eu falo para o meu marido que o amo muitas vezes ao dia, mas não adianta só falar, o amor precisa chegar no coração daquele que amamos. Eles precisam se sentir amados. Reflita um pouco: Você se sente amado? Isso precisa acontecer todos os dias, pois sempre queremos nos sentir amados... Nós podemos falar muito mas nossas atitudes precisam demostrar amor também.

Por isso se cada um entender que “quem tem que mudar sou eu” e tomar essa decisão, a nossa família vai ser a mais feliz do mundo.

O que tem acontecido nos relacionamentos é que o nosso jeito de amar está doente, é como se não soubéssemos mais amar. Nós sabemos que a vida de casado é uma vida de contínuo perdão – perdoar é a mais linda e plena manisfestação do amor de Deus, porque ele nos perdoa continuamente. O perdão é uma das formar de curar o nosso amor que está doente.

É preciso perdoar todos os dia, sempre. É preciso buscar o perdão de qualquer jeito, mesmo se for pegando na mão do seu cônjuge, fazendo um carinho, um gesto de amor... Não é possível seguir em frente essa vida de casado sem se reconciliar todos os dias.

Nós somos chamados a refletir o amor de Deus para esse mundo. Quem vê um casal cristão precisa ver Deus, o amor, ver o perdão.

Você não pode seguir em frente deixando contas a acertar com sua mulher, com seu marido... Não é possível experimentar a grandiosidade do amor de Deus sem a experiência do amor e do perdão.

É impossível vivermos a graça de Deus na nossa família sem colocarmos em pratica o perdão... Mas o que é perdoar? É sorrir para quem não merece o meu sorriso, é abracar quem não merece meu abraço, arrumar a cama de quem não merece, fazer uma comida gostosa, abrir os braços para quem eu tinha vontade de “esganar”, é fazer um carinho em quem eu tinha vontade de virar as costas...

Existe uma série de “bronquinhas” entre os casais que vamos guardando embaixo do tapete, mas fazendo isso, é como se juntássemos lixo dentro de casa. E lixo precisa ir para a lixeira. Toda mágoa contida, todo pecado, por mais simples que seja, não pode juntar.

Quando o perdão não é dado, nas coisas mais simples do dia a dia, deixa as mágoas guardadas dentro de nós, e reagimos de diversas formas, com cara feia, ou indo dormir mais cedo, evita a presença do outro, faz aquele “silêncio mortal”, etc. Tudo porque nós sabemos como magoar o outro

Nós nos conhecemos, e sabemos o que faz o outro feliz, passamos a conhecer as suas qualidades, mas também os seus defeitos. O outro veio de uma realidade totalmente diferente da minha, com costumes diferentes. Portanto, é preciso aprender a amar o que meu marido tem de bom, mas também amar ele com seus defeitos. E o que é defeito muitas vezes se transforma em virtude.

Vamos fazer um gesto de perdão. Se você está aí com sua esposa ou seu marido, dê a mão a ele. Olhe nos seus olhos e perguntem-se: “a gente tem se perdoado?”. Um responde, o outro ouve sem interromper. Esse gesto será fonte de cura para vocês, deixe a graça do perdão agir no seu coração.

Continuem partilhando: “Existe lembranças que você teve agora que gostaria de pedir perdão?” Perguntem-se “quem tem mais facilidade para perdoar?”

O amor de Deus é a grande força do perdão, que jorra do coração de Deus. Diga para o seu cônjuge: “meu amor, eu te perdoo, pela misericórdia do nosso Senhor Jesus. Eu mesmo não tenho forças para te perdoar, sou teimoso (a), “cabeça-dura”, mas eu quero te perdoar e colocar todos os seus erros, e até mesmo, os erros que virão, no coração misericordioso de Jesus. Eu coloco a nossa família, a nossa casa material, mas principalmente, as nossas almas, a nossa casa espiritual, e proclamamos que pelo poder do preciosíssimo Sangue de Jesus, do Sagrado Coração de Jesus, que o perdão vence e sempre vencerá em nossa casa

Vocẽ pode fazer agora um compromisso de perdoar sempre... mas antes pense: “eu quero fazer esse compromisso?” - se sim, proponha para seu cônjuge. dê um abraço apertado e um beijo.

Nós precisamos ser curados no amor, por isso o perdão é o remédio para curar nosso coração que ainda não sabe amar com o amor de Deus. Não podemos imaginar a proteção divina que existe sobre um casal que, mesmo com todos seus defeitos e problemas, se decidem pelo perdão. A benção de Deus estará sempre sobre esse casal.

Por isso é muito importante observar quem tem mais dificuldade para perdoar... No meu caso, a Eliana sempre me deu um “banho de perdão”, ela sempre foi de uma generosidade imensa com meu temperamento, com minhas limitações. E eu fui aprendendo sobre o perdão com ela, que sempre me perdoou, e continuou me amando, me cobrindo de cuidados, como se eu não tivesse sido capaz de magoá-la com meu temperamento... mas ela continua me amando, me perdoando, continua me esperando... e lá em casa quem aprende a perdoar sou eu. Graças a Deus cresci muito, mas ainda tenho muito a aprender..

Você não casou para fazer “suas coisas” em casa, mas para fazer “as coisas próprias de uma família”, por isso é preciso fazer as coisas juntos, se ajudarem. Por isso, o homem precisa sim ajudar em casa.

O Ricardo estava falando sobre essa capacidade que eu tenho para amar e perdoar, mas isso tem um segredo: eu tomei a decisão de que eu quero “amar sempre”. Eu tomei a decisão de me preocupar com meu filho e com o Ricardo e de querer ser “a primeira a amar”.

É duro dizer, mas se entre vocês dois não existe perdão, não existe Deus. Só existe Deus se existe perdão. Então, como diria o monsenhor Jonas: “te vira para perdoar”... doa aonde doer, porque se não tem perdão, não tem Deus.

O que você precisa fazer para perdoar? Se você decidir, Deus vai te dar a chance. Ou melhor, Deus já te deu a chance. Por isso, não perca tempo. Esse compromisso de perdoar é tão importante que precisa ser renovado todos os dias, ser atualizado. Assim como Jesus se dá todos os dias por nós na

Eucaristia. O Sacrifício se renova. Se queremos ter vida precisamos “suar a camisa” em casa e “aguentar firme”. Que história é essa de querer a separação? Aguenta firme, minha filha, porque virá a hora da ressurreição



Detalhes


  • É caminho e santificação amar a sua esposa, o seu marido, os seus filhos, mas em primeiro lugar somos nós que nos santificamos. Essa é a nossa grande conversão do dia a dia.
  • Você veio para o acampamento e pensou: “agora vai ser a hora, ele vai ouvir tudo e vai voltar para casa novinho em folha”, mas eu te digo que quem tem que mudar é você.
  • O amor afetivo e o amor efetivo precisa acontecer entre o casal e na família. Eu falo para o meu marido que o amo muitas vezes ao dia, mas não adianta só falar, o amor precisa chegar no coração daquele que amamos
  • Nós somos chamados a refletir o amor de Deus para esse mundo. Quem vê um casal cristão precisa ver Deus, o amor, ver o perdão. .
  • Você não pode seguir em frente deixando contas a acertar com sua mulher, com seu marido... Não é possível experimentar a grandiosidade do amor de Deus sem a experiência do amor e do perdão
  • Só existe Deus se existe perdão. Então, como diria o monsenhor Jonas: “te vira para perdoar”... doa aonde doer, porque se não tem perdão, não tem Deus.
  • Eucaristia. O Sacrifício se renova. Se queremos ter vida precisamos “suar a camisa” em casa e “aguentar firme”.
  • Que história é essa de querer a separação? Aguenta firme, minha filha, porque virá a hora da ressurreição