Parques e passeios - RJ

De Wiki Canção Nova
Ir para: navegação, pesquisa
'Parque Estadual do Grajaú'
Parque Estadual do Grajaú

Localiza-se no bairro do Grajaú, na cidade do Rio de Janeiro. Criado em 1978 com o nome de Reserva Ambiental do Grajaú, distribui-se por uma área de 55 hectares remanescentes da Mata Atlântica, inscrita no espaço urbano do Rio de Janeiro. Sua importância decorre da grande diversidade de espécies nativas que abriga, inclusive exemplares do mico-estrela e do gavião caçador. Destaca-se ainda pela vista privilegiada para a Pedra do Andaraí (também conhecida como Pico do Perdido ou Pico do Papagaio), que se eleva 444 metros acima do nível do mar, muito procurada por praticantes do montanhismo e considerada um dos principais símbolos do bairro.

Rua Comendador Martinelli 742 Grajaú - Rio de Janeiro Fundação Instituto Estadual de Florestas Rua de Ajuda 5 - Centro - Rio de Janeiro


'Parque Nacional da Tijuca'
Parque Nacional da Tijuca

O Parque Nacional da Tijuca é uma opção inigualável para o lazer dos habitantes da cidade que o circunda, além de torná-la única no mundo a possuir no seu núcleo, um Parque Nacional. Apresenta-se com relevo montanhoso, abrangendo as Serras de Três Rios, da Carioca e o grupo Pedra da Gávea / Pedra Bonita, desde 80 metros de altitude (ao fundo do Jardim Botânico), até 980 metros (no alto da Serra da Carioca) e 1021 metros (no Pico da Tijuca).



'Parque Natural Municipal Bosque da Barra'
Parque Natural Municipal Bosque da Barra

O parque possui vegetação típica de praia, comum no litoral brasileiro. A flora serve como refúgio para pássaros e pequenos animais. Possui lagoas naturais, pista para cooper, ciclovia, campo de futebol e área para piquenique, se tornando assim o "Central Park" da Barra da tijuca. Endereço: Av. das Américas, 6.000 - Barra da Tijuca Horário: Diariamente, 7-17h




'Lagoa Rodrigo de Freitas'
Lagoa Rodrigo de Freitas

Cercada pelos mais badalados bairros cariocas - Lagoa, Ipanema, Leblon, Gávea e Jardim Botânico -, emoldurada por montanhas e abraçada pelo Cristo Redentor, a Lagoa Rodrigo de Freitas impressiona pelo pôr-do-sol e o reflexo dourado em suas águas plácidas e silenciosas, tornando-se um grande ponto de encontro, tanto para os cariocas quanto para os visitantes. As margens da Lagoa são algumas das mais bem equipadas áreas de entretenimento da cidade e convidam a uma caminhada, jogging ou passeios de bicicleta, que podem ser alugadas por ali. Seus 7,5 km de extensão incorporam os parques dos Patins, Taboas e Catacumba. O conjunto dos três parques oferece uma infinidade de opções esportivas e gastronômicas.

Avenida Epitácio Pessoa e Avenida Borges de Medeiros – Lagoa


Outras Atividades


Cidade das Crianças - Piscinas, teleférico, ciclovia, brinquedos e muita diversão para fazer a alegria da garotada e tudo isso de graça. Assim é o parque temático Cidade das Crianças Leonel Brizola, em Santa Cruz. Além do lazer, o espaço oferece atividades culturais, como oficinas de teatro, dança, música, circo e canto coral. E para os que gostam de praticar esporte, haverá aulas de natação, handebol, vôlei, basquete, futebol soçaite, futsal e tai-chi-chuam, além de estar previsto a colônia de férias para a criançada. Os idosos também poderão fazer aulas de hidroginástica e teatro. As inscrições podem ser feitas no próprio local, todas as atividades são gratuitas.

Localização: Rodovia Rio-Santos km1 - Santa Cruz Horário: de terça à sexta-feira de 8h às 17h sábados, domingos e feriados de 9h às 17h Telefone: 2418-4870


Teatros Sugerimos telefonar para os teatros e confirmar a programação e preço pois os mesmos podem ser alterados sem informação prévia.

Telefones: Teatro Clara Nunes( 21) 2274-9696;Teatro das artes (21) 2540-6004; Teatro dos quatro (21) 2274-9895; Teatro Vannucci (21) 2274-7246


Orla do Rio

Palco de competições internacionais, as ondas da orla carioca atraem atletas amadores e profissionais durante todo o ano. Há espaço para todos. Até mesmo quem nunca subiu em uma prancha não precisa sair do Rio sem experimentar a sensação inesquecível de deslizar sobre as ondas. Várias escolinhas oferecem cursos intensivos durante todo o ano, além de atender alunos em todos os níveis. Outra modalidade que a cada ano ganha mais adeptos é o Stand Up, modalidade onde uma prancha larga e um remo tracionam o atleta para as ondas. O equipamento também é muito usado para travessias marítimas. Mas, para quem já entende do esporte, é só escolher o ponto e cair na água. As opções são muitas. Divirta-se.


Picos

Arpoador: Praia com 800 metros de extensão entre o Forte de Copacabana e Avenida Vieira Souto. Ondas entre um e dois metros. Um dos pontos favoritos dos surfistas na zona sul da cidade. Barra-Meio: Extensão de um quilômetro no meio da praia da Barra da Tijuca, na zona oeste da cidade. Local escolhido para os campeonatos com ondas de até dois metros de altura. Macumba-Pontal: 2,6 quilômetros de extensão depois do Recreio dos Bandeirantes, na estrada do Pontal, próximo ao Camping. Ondas variam entre um e três metros. Prainha: Protegida pela Mata Atlântica, na zona oeste da cidade, tem as ondas mais bacanas do Rio e também a galera mais alto-astral. O visual é surpreenden-te. São apenas 700 metros de praia encravados entre dois morros com ondas que chegam a três metros de altura. Grumari: 2,8 quilômetros de extensão na Praia de Grumari. Ondas entre um e três metros. Faz parte da mesma reserva de Mata Atlântica que a Prainha.


Zona Sul Carioca


'Copacabana'
Copacabana é situada entre o mar e as montanhas e fazendo parte do contexto geográfico, histórico e cultural da chamada Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro, o bairro de Copacabana assumiu, ao longo do tempo, uma identidade própria e reconhecimento mundial. Tradicional cartão postal da cidade, Copacabana ainda consegue manter alguns dos mitos que a celebrizaram em décadas atrás: território movimentado, cosmopolita e sem preconceitos, centro comercial e cultural, palco da moda, das inovações, da boemia e dos mais variados divertimentos cariocas. Copacabana é um dos bairros mais famosos da cidade do Rio de Janeiro, tem uma bela praia em formato de meia lua e é apelidada de Princesinha do Mar devido a sua era áurea nas décadas de 1930, 1940 e 1950. Bairro de boemia, glamour e riqueza, Copacabana deu origem a muitas músicas, livros, pinturas e fotografias, virando referência turística do Brasil. O bairro é cheio de bons restaurantes, cinemas, bancos, sinagogas (tradicionalmente abriga a comunidade judaica carioca), lojas e teatros. Na extremidade esquerda, situando-se de frente para o mar, está o bairro do Leme, que sempre acompanhou de perto a evolução de seu vizinho Copacabana, mas guarda, segundo seus moradores, uma atmosfera mais tranquila, pois se mantém predominantemente residencial.



'Ipanema'
Ipanema é um nome de origem indígena, seu nome significa, em tupi-guarani, "água perigosa", pouco indicada para pesca e natação. Essa definição, no entanto, foi ignorada, tanto pelos moradores do bairro, quanto por seus frequentadores, sobre tudo a partir da década de 1960, quando a praia e suas areias claras passaram a ser disputadas por artistas, intelectuais e pessoas de alto poder aquisitivo, convivendo em perfeita harmonia, o que tornou o bairro, como um todo, num dos locais mais animados, alegres e refinados da cidade. Ipanema figura entre os principais pontos turísticos da cidade do Rio de Janeiro, tanto para turistas brasileiros quanto internacionais. Todo ano, turistas lotam o tradicional bairro e sua praia. Ipanema foi fundada em 1894, é um dos bairros mais nobres do Rio de Janeiro. Localiza-se na Zona Sul da Cidade, e tem um belo litoral. A faixa de areia da praia de Ipanema se estende, para um lado, até o Leblon, e, para o outro, até Arpoador, dois bairros igualmente nobres do Rio.



'Mirante do Leblon'
Leblon foi a chácara Campos do Leblon, do francês Charles Leblon, que deu nome ao bairro. Seu processo de expansão foi semelhante ao verificado em Ipanema, pois a proximidade de ambos lhes confere as mesma caracteristicas atraentes, além, de grande valorização da vida ao ar livre e das atividades esportivas como as caminhadas e o cilclismo, praticados no calçadão junto à praia. Por tudo isso, esses dois bairros, verdadeiros irmãos gêmeos, há várias décadas, alternadamente, passaram a criar e ditar modismos cariocas. na década de 1970, foi a vez de o Leblon tranforma-se no centro da agitação noturna da cidade. Os restaurantes do Baixo Leblon, na Avenida Ataulfo da Paiva, entre as Ruas Aristídes Espínola e General Artigas, passaram a ser o ponto de intelectuais e de uma nova geração contestadora. Marcas desse tempo estão presentes nas músicas de compositores como Egberto Gismonti, Vinícius Cantuária, e dos Roqueiros Cazuza e Lobão, entre muitos outros. Ainda hoje, jovens gravitam ao seu redor, sonhando com um lugar ao sol, e animam as noites sem fim do Baixo Leblon. O Leblon é um bairro da Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro, localizado na faixa de terra entre a Lagoa Rodrigo de Freitas e o Oceano Atlântico, junto à encosta do Morro Dois Irmãos. A vizinhança é eminentemente de classe média-alta e alta e inclui entre seus moradores os nomes mais tradicionais da elite e do jet set carioca.



'Botafogo'
Botafogo é um bairro de classe média da cidade do Rio de Janeiro. Especialmente conhecido pelos seus shoppings centers, centros empresariais e mansões preservadas do início do Século XX. É também conhecido no Rio de Janeiro como o "Bairro das Escolas", "Bairro das Clínicas" - devido à grande presença de escolas, clínicas e hospitais particulares e públicos na região - ou ainda por moradores de outros bairros com "Bairro de Passagem", devido aos seus túneis que o ligam com Copacabana, embora esse termo não seja muito utilizado atualmente. Localiza-se na Zona Sul da cidade, entre os bairros do Flamengo, Humaitá e Urca.



'Aterro do Flamengo'
Flamengo é um bairro da Zona Sul do Rio de Janeiro, nas cercanias da praia e do parque de mesmo nome. A vizinhança é eminentemente residencial de classe média, com alguns apartamentos de luxo situados na avenida de frente para a orla. O nome Flamengo é uma homenagem ao navegador flamengo, na verdade holandês, Olivier van Noort, conhecido como Le Blonde, que a bordo do seu navio chamado Urca esteve no Rio de Janeiro no século XVIII. Daí a origem de três nomes de bairros conhecidos na Zona Sul do Rio de Janeiro. Além dessa, há outras origens possíveis para o nome flamengo, às quais o historiador Brasil Gerson faz alusão em sua obra História das ruas do Rio. Uma delas se refere à época das invasões holandesas ao Brasil. O nome teria origem na denominação dos prisioneiros também conhecidos por flamengos, que moraram na região durante o Seiscentismo (anos que abrangem o período de 1600 a 1699), trazidos de Pernambuco e transferidos para a região. Uma segunda, está relacionada a presença de muitos flamingos trazidos para o Brasil das regiões banhadas pelo Mediterrâneo. Haveriam tantos que um oficial alemão dos batalhões estrangeiros do Primeiro Reinado, C. Schlichthurst, escreveu em seu livro de memórias O Rio de Janeiro como é: "... e passam voando os flamingos com o esplendor de suas cores brilhantes e borboletas variegadas de tamanho nunca visto...". O bairro tambem serviu como berço para o Clube de Regatas do Flamengo, na altura do número 66 da Praia do Flamengo. No entanto, antes do atual nome, o bairro recebeu ainda outras denominações. O bairro também abriga uma estação do metrô carioca e suas principais ruas são a Rua Senador Vergueiro e a Rua Marquês de Abrantes, além das vias expressas do Aterro do Flamendgo, que ligam a Zona Sul ao Centro da cidade.



'Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro'
Glória é um bairro da cidade do Rio de Janeiro, localizado na extremidade norte da Praia do Flamengo. É considerado o primeiro bairro da Zona Sul carioca, por fazer limite com o Centro e a Lapa. O bairro deve seu nome à Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro, uma das primeiras construídas na cidade no século XVIII, em torno da qual se consolidou o povoamento da região. Nela fora batizado Afonso Henriques de Lima Barreto, tendo a igreja papel de destaque na corte de Dom João VI, onde provavelmente deve ter tocado José Maurício Nunes Garcia; atualmente são batizados os descendentes - do ramo fluminense - de Dom Pedro II. O Bairro da Glória perdeu boa parte do seu acesso ao mar com a construção do Aterro do Flamengo. Até os anos 30 era considerado o Saint-Germain-des-Prés(Paris) carioca, quando então desde fins de 1880 abrigava hotéis que serviam de residência a deputados, senadores, em exercício no Rio de janeiro, então capital federal. Boa parte de seus modelos arquitêtonicos e urbanismo inspiraram-se em Paris, basta considerar a Praça Paris, um verdadeiro jardim francês. Foi nesse bairro que Machado de Assis entre outros artistas, músicos e personalidades criaram o famoso Clube Beethoven, um seleto grupo que se reunia para ouvir as obras do compositor alemão. Entre os anos 30 e 60 do século XX, os casarões em estilo eclético e boa parte das vilas operárias vão dando lugar a prédios, que acabaram dando ao bairro o aspecto que tem hoje. Com uma área territorial pequena, o bairro possui o 16º melhor índice de IDH da cidade. Contando com apenas uma favela, ao fim da rua Santo Amaro, na divisa com o bairro do Catete, o bairro predominantemente residencial pode ser considerado tranqüilo, com seus 10.098 moradores e com seu comércio de restaurantes e bares. A Glória também abriga uma estação do metrô carioca.



'Vista aérea Centro do Rio de Janeiro'
Centro do Rio é o bairro mais antigo da cidade. Foi nele, efetivamente, que a cidade do Rio de Janeiro nasceu, após sua tranferência, em 1567, da região do Morro Cara de Cão, no atual Bairro da Urca, para o Morro do castelo, arrasado a partir de 1922, que se encontrava na área hoje conhecida como Esplanada do Castelo. O centro foi a "cidade" até o século XIX; ainda hoje é chamado de cidade, expressão popular sinônima de Centro. Trata-se do núcleo do Rio de Janeiro, todas as épocas da história, todas as nuances da vida urbana, todas as múltiplas atividades da cidade estão representadas no bairro, apesar de vestígios históricos mais remotosterem sido suprimidos nas freqüentes remodelações que sofreu. A alma da cidade transparece em suas ruas e avenidas. O contorno geral de hoje foi definido a partir do final de 1950, quando começou o predomínio absoluto dos grandes edifícios e do trânsito intensode automóveis. Palpitante durante o dia, o centro morre à noite, por estar, atualmente, em uma ponta da cidade, que não é mais usada como local de habitação, como no passado, ou de passagem entre os bairros.



'Barra da Tijuca'
Barra da Tijuca é um bairro nobre da zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Possui 18 quilômetros de praia, sendo a maior da cidade e 3 grandes lagoas principais, além de lagoas menores e canais. Possui quatro vias principais: a Avenida das Américas (principal via do bairro, que segue pelo Recreio dos Bandeirantes e possui cerca de 40 quilômetros), a Avenida Armando Lombardi (continuação da Avenida das Américas e que desemboca no Elevado do Joá), Avenida Ayrton Senna (que liga a Barra ao bairro de Jacarepaguá e a Linha Amarela) e a Avenida Sernambetiba (que corre ao longo do litoral).



'Calçadão – Recreio dos Bandeirantes'
Recreio dos Bandeirantes é um bairro de classe média e classe alta, afastado do centro da cidade do Rio de Janeiro. Localizado a oeste da Barra da Tijuca, o Recreio dos Bandeirantes é um bairro que tem crescido rapidamente. O Recreio, ao contrário da Barra, que tem arranha-céus residenciais, possui, principalmente, prédios baixos com grandes varandas. É um dos bairros mais seguros e sua infra-estrutura foi toda planejada para uma boa qualidade de vida. O grande problema deste bairro é a pouca opção de transporte público para a zona sul e centro da cidade, o que o torna mais indicado para aqueles que conseguem organizar a vida ao seu redor, já que ir até o centro da cidade pode demorar até duas horas em um dia normal. A praia do Recreio, é muito frequentada por surfistas e é palco de muitos campeonatos de bodyboard e gravações da TV Globo. Seu limite vai da Barra da Tijuca até a praia da Macumba, Grumari e Abricó (praia de nudismo). Com a categoria de mais novo bairro do Rio de Janeiro o Recreio, como assim falam seus moradores, fugidos de bairros sufocados pelo progresso desenfreado, ainda guarda característica típica de cidade do interior, com a conscientização do meio ambiente para uma boa qualidade de vida e o respeito a pessoa humana em suas ruas tranquilas que permitem um passeio de bicicleta ou a pé.