São Jerônimo

De Wiki Canção Nova
Ir para: navegação, pesquisa

São Jerônimo: tradutor e exegeta da Bíblia, presbítero e Doutor da Igreja

No último dia do mês da Bíblia, a Igreja celebra a Memória do grande tradutor e exegeta da Bíblia, São Jerônimo, presbítero e Doutor da Igreja. Numa era muito conturbada para a Igreja - como foi o final do século IV e a primeira metade do século V - surgiram simultaneamente na Cristandade grandes luzeiros de santidade e ciência, tanto no Oriente quanto no Ocidente: Santo Hilário, Bispo de Poitiers, Santo Ambrósio, de Milão, e a “Águia de Hipona”, o grande Santo Agostinho.

Com São Jerônimo, formam eles o ilustre grupo dos chamados quatro Padres da Igreja latina daquela época. Jerônimo nasceu na Dalmácia em 340 e merecidamente foi conhecido como: escritor, filósofo, teólogo, retórico, gramático, dialético, historiador exegeta e doutor.

Tendo estudado as línguas originais para melhor compreender as Escrituras, Jerônimo pôde, a pedido do Papa Dâmaso, com grande sacrifício, à luz de lamparinas nas grutas de Belém, mas com precisão, traduzir a Sagrada Escritura dos originais hebraico e grego para o latim, língua universal daquela época e oficial da Igreja. A versão latina da Bíblia ficou conhecida como “Vulgata”.

O empenho insuperável de São Jerônimo na tradução das Escrituras foi por ele mesmo assim descrito: “Cumpro o meu dever, obedecendo aos preceitos de Cristo que diz: ‘Examinai as Escrituras e procurai e encontrareis’ para que não tenhais de ouvir o que foi dito aos judeus: ‘Estais enganados, porque não conheceis as Escrituras nem o poder de Deus’. Se, de fato, como diz o Apóstolo Paulo, Cristo é o poder de Deus e a sabedoria de Deus, aquele que não conhece as Escrituras não conhece o poder de Deus nem a sua sabedoria. Ignorar as Escrituras é ignorar Cristo”.

São Jerônimo faleceu no dia 30 do mês de setembro do ano 420, muito avançado em idade e virtude. No mesmo dia, aparecia a Santo Agostinho e desvendava-lhe o estado das almas bem-aventuradas no Céu. A Igreja declarou-o padroeiro dos estudos bíblicos e fixou "o dia da Bíblia" no mês do seu aniversário de morte, ou ainda, dia da posse da grande promessa bíblica: a Vida Eterna.