Santos dos Santos

De Wiki Canção Nova
Ir para: navegação, pesquisa
Erro ao criar miniatura: Não foi possível salvar a miniatura no destino
Pe.Cleidimar

(Evangelho São João 6, 50-71) “Este é o pão que desceu do céu, para que não morra todo aquele que dele comer. .Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão, que eu hei de dar, é a minha carne para a salvação do mundo. A essas palavras, os judeus começaram a discutir, dizendo: Como pode este homem dar-nos de comer a sua carne? Então Jesus lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. Pois a minha carne é verdadeiramente uma comida e o meu sangue, verdadeiramente uma bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai que me enviou vive, e eu vivo pelo Pai, assim também aquele que comer a minha carne viverá por mim. Este é o pão que desceu do céu. Não como o maná que vossos pais comeram e morreram. Quem come deste pão viverá eternamente. Tal foi o ensinamento de Jesus na sinagoga de Cafarnaum. Muitos dos seus discípulos, ouvindo-o, disseram: Isto é muito duro! Quem o pode admitir? Sabendo Jesus que os discípulos murmuravam por isso, perguntou-lhes: Isso vos escandaliza? Que será, quando virdes subir o Filho do Homem para onde ele estava antes?... O espírito é que vivifica, a carne de nada serve. As palavras que vos tenho dito são espírito e vida. Mas há alguns entre vós que não creem... Pois desde o princípio Jesus sabia quais eram os que não criam e quem o havia de trair. Ele prosseguiu: Por isso vos disse: Ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lho for concedido. Desde então, muitos dos seus discípulos se retiraram e já não andavam com ele. Então Jesus perguntou aos Doze: Quereis vós também retirar-vos? Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, a quem iríamos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós cremos e sabemos que tu és o Santo de Deus! Jesus acrescentou: Não vos escolhi eu todos os doze? Contudo, um de vós é um demônio!...Ele se referia a Judas, filho de Simão Iscariotes, porque era quem o havia de entregar não obstante ser um dos Doze.”

Quando nós acolhemos palavras de salvação, Deus encontrará verdadeiros adoradores em nós. Deus procura verdadeiros adoradores, aquilo que a gente vai vivendo nós vamos transformando em música. Nós não estamos num mundo de competição, nós não estamos vivendo no cristianismo para competirmos. Nós estamos aqui pra fazer música, para que você estando na presença de Deus tenha uma intimidade com Ele, que um dia possa te levar ao céu. Que nós possamos fazer uma música que é uma verdadeira arte e que essa arte possa atingir os filhos de Deus, fazendo com que eles tenham um encontro pessoal e profundo. Nós não podemos estar realizando uma música que vá me atender, mas que vá atender o povo de Deus, partindo do testemunho de cada um de nós. Se eu começo a fazer uma música que vai servir só a mim e se não estou com pensamento na missão de servir a todos os cristãos, cada vez mais Deus vai ficando entristecido. Cada vez mais o diabo deve rir de situações como estas. Nós precisamos unir nossas forças, cada um com suas diversidades. Nós músicos devemos cada vez mais ver aquilo que a igreja está nos dizendo pra que nós possamos estar realizando e fazendo música conforme a liturgia nos pede.

Você que é músico e esta compondo músicas para que o povo de Deus se encontre com Ele existem três passos para você alcançar a santidade musical:

  • O primeiro passo é a espiritualidade, um dos primeiros momentos que fazem com que a gente esteja na presença de Deus e faz a gente compor a música é rezar. A composição não parte da cabeça, ela parte da sua oração com Deus. Quanto mais nós vamos nos aproximando de Deus, ficando intimo Dele há situações que nos rodeiam e nos fazem sofrer. A nossa espiritualidade vai crescendo de acordo com a nossa sinceridade com Deus, no dia a dia com a experiência de vida concreta, não parte simplesmente do querer fazer uma música e sim da sua necessidade para com Deus de se entregar ou de louvar. Se você quer ficar intimo de Deus, basta comer e beber da comida verdadeira, da verdadeira bebida que é Jesus Cristo;
  • O segundo passo para a santidade musical é a arte. Cada músico tem sua sensibilidade musical, que é colocada na música usando esta arte para que o povo de Deus seja tocado;
  • O terceiro passo é a ligação com momento litúrgico. Que as nossas músicas sejam verdadeiras artes para levar o povo de Deus a estar em intimidade com Ele, a estar doando a sua vida a Ele, doando a sua vida ao irmão. Não sejamos tímidos na hora de compor uma música, pois quando o mundo vai fazer uma música ele já pensa em destruir. A motivação é que nós possamos fazer uma música e que nós façamos também aquilo que nós temos como arte muito bem feito, porque nós pregamos uma verdade.

Se eu não acreditar profundamente que Deus é Deus e que eu devo ser um adorador eu vou estar só cantando. Eu tenho que cantar com toda a minha alma, com todo meu coração com toda a minha vida e aí sim as pessoas serão atingidas. O que nós devemos buscar é a unidade. Que nós façamos tudo por amor. Nós temos a escolha de estarmos escolhendo um caminho que nos leva a Deus ou então um caminho que não está nos levando a Deus. Escolha Deus.

Veja mais

Palestras Músicos