Cardeal Dom Claúdio Hummes

De Wiki Canção Nova
Revisão de 09h55min de 29 de março de 2010 por Ariane (discussão | contribs) (Nova página: O Cardeal Dom Claúdio Hummes é considerado um símbolo da luta contra a ditadura militar de 1964 a 1985 no Brasil - país com maior número de católicos. Nascido em 8 de agosto de 1...)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

O Cardeal Dom Claúdio Hummes é considerado um símbolo da luta contra a ditadura militar de 1964 a 1985 no Brasil - país com maior número de católicos. Nascido em 8 de agosto de 1934, em Montenegro, 100 quilômetros de Porto Alegre, Hummes foi arcebispo de São Paulo de 1998 a 2006 - uma das principais arquidioceses do mundo, composta de 261 paróquias que agrupam algo em torno de nove milhões de fiéis.


Aos 72 anos, Hummes foi transferido para chefiar o departamento do Vaticano que gerencia os padres católicos do mundo. Para assumir o cargo, o cardeal teve que se mudar para a sede da Igreja Católica, em Roma. No cargo de prefeito da Congregação para o Clero, Hummes chefia cerca de 400 mil padres mundo afora.


Biografia

O Cardeal Dom Frei Cláudio Hummes, OFM nasceu em Montenegro, RS, em 08.08.1934, filho de Pedro Adão Hummes e Maria Frank Hummes. Ordenou-se padre em Divinópolis, MG, em 03.08.1958, pertencendo à Ordem Franciscana dos Frades Menores.

Foi nomeado Bispo Coadjutor “com direito de sucessão” da Diocese de Santo André (SP), em 22.03.1975, ordenado bispo em Porto Alegre-RS, em 25.05.1975, e tomou posse em 29.06.1975. Permaneceu como Bispo Coadjutor “com direito de sucessão” até 29.12.1975, quando assumiu como Bispo Diocesano de Santo André, ficando nesta região industrial e operária até ser nomeado Arcebispo de Fortaleza - CE, em 21.07.1996, cumprindo esta missão até 15.04.1998, quando de sua nomeação para São Paulo. Tomou posse como Arcebispo de São Paulo em 23 de maio de 1998. Foi criado Cardeal Presbítero do Título de Santo Antônio de Pádua na Vila Merulana em 21/02/2001, pelo Papa João Paulo II.

Foi membro da Comissão Episcopal de Pastoral (CEP) da CNBB - Linha 5 de 1976-78; Linha 1, de 1979 a 1982, e responsável pelos Setores Família e Cultura de 1995 a 1998. Foi Assistente Nacional da Pastoral Operária, de 1979 a 1990. Nesse período do regime militar, assumiu corajoso apoio ao movimento grevista dos metalúrgicos e abriu as portas das igrejas para as organizações sindicais impedidas pelo governo de reunirem-se legalmente. Foi eleito pelos bispos da CNBB delegado para o Sínodo dos Bispos sobre a Família, em 1980, para a Assembléia Especial do Sínodo dos Bispos para a América, em 1997, e para Sínodo dos Bispos de 2001, confirmado pelo Papa. É Grão Chanceler da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo desde 1998 até hoje. Foi membro de várioi cargos na Cúria Romana, no Vaticano.

Em 2002, Hummes foi o orientador dos exercícios espirituais (retiro) que o Papa João Paulo II e pra Cúria Romana. Em 2005 foi um dos quatro cardeais eleitores brasileiros do Conclave, tendo sido considerado papabile pela imprensa mundial e é presidente do conselho internacional de catequese.

Em 31 de outubro de 2006, Dom Cláudio Hummes foi nomeado, pelo Papa Bento XVI, prefeito da Congregação do Clero, funçao na Santa Sé, responsável por mais de quatrocentos mil padres em todo o mundo. Escritos de sua autoria:

“Renovação das provas tradicionais da existência de Deus”

por Maurice Blondel em l’Action (1893), Braga, 1964.

Co-autoria do livro “Fé e Compromisso Político”, Paulinas, 1982.

“Sempre Discípulos de Cristo - Retiro Espiritual do Papa e da Cúria Romana”, São Paulo,Paulus, 2002 (traduzido para o italiano)

“Diálogo com a cidade”. São Paulo, Paulus - 2005.

“Discípulos e missionários de Jesus Cristo. Ser cristão no mundo atual”. São Paulo, Paulus - 2006.

comentários


Referências