Mudanças entre as edições de "Comunidade Aliança de Misericórdia"

De Wiki Canção Nova
Ir para: navegação, pesquisa
(Nova página: De 15 de outubro a 1º de novembro de 1999, o Senhor confirmou o chamado que impulsionaria o início desta obra, confiando como Palavra de Vida a passagem de Is. 61, 1ss. No dia de Tod...)
 
 
Linha 1: Linha 1:
 +
O Movimento Eclesial Aliança de Misericordia é uma Associação Privada de Fiéis, com sede na [[Arquidiocese de São Paulo]], capital, cuja identidade se encontra em sua Palavra de Vida.O movimento está presente em 36 cidades do Brasil e outros 3 países (Bélgica, Itália e Portugal), através da adesão dos membros a um dos Elos de pertença.
 +
 +
 +
No âmbito religioso a Aliança de Misericórdia acolhe e une as forças de homens e mulheres, celibatários e casados, leigos e clérigos, que, de várias formas e níveis, chamados por Deus, tornam-se “filhos da misericórdia” para evangelizar as ovelhas perdidas (cf. Lc 15, 4-7), confiantes na potência do Espírito Santo, realizando todas as obras de Misericórdia que as próprias forças permitirem.
 +
 +
 +
Junto aos trabalhos de evangelização, o Movimento realiza diversas obras sociais junto à população carente das periferias e ruas, conjugando harmoniosamente evangelização e caridade como faces de uma só moeda, e sendo reconhecida juridicamente como entidade de utilidade pública em âmbito municipal, estadual e federal. Para maiores detalhes consulte o site específico.
 +
 +
 +
== Histórico ==
 +
 +
 
De 15 de outubro a 1º de novembro de 1999, o Senhor confirmou o chamado que impulsionaria o início desta obra, confiando como Palavra de Vida a passagem de Is. 61, 1ss. No dia de Todos os Santos, Ele nos fez intuir as cores do arco-íris como sinal de uma nova Aliança de Misericórdia, que se desdobrava nas várias expressões do Amor, pelos diferentes dons do Espírito. Compreendemos que era uma obra para a santificação de todos e que a santidade seria nossa primeira vocação, à luz das Bem-Aventuranças (cf. Mt 5, 1-12).
 
De 15 de outubro a 1º de novembro de 1999, o Senhor confirmou o chamado que impulsionaria o início desta obra, confiando como Palavra de Vida a passagem de Is. 61, 1ss. No dia de Todos os Santos, Ele nos fez intuir as cores do arco-íris como sinal de uma nova Aliança de Misericórdia, que se desdobrava nas várias expressões do Amor, pelos diferentes dons do Espírito. Compreendemos que era uma obra para a santificação de todos e que a santidade seria nossa primeira vocação, à luz das Bem-Aventuranças (cf. Mt 5, 1-12).
  
  
Pe. Henrique e Pe. Antonello e os irmãos Maria Paola e Dílson começaram uma quarentena para discernimento, que terminou em 12 de dezembro, III Domingo do Advento do Natal do Ano Santo, Ano da Misericórdia: era a festa de N. Sra. de Guadalupe, Rainha e Padroeira das Américas, dos pequenos, dos sofridos e oprimidos. Compreenderam, então, que a Imaculada do Espírito Santo era a verdadeira Mãe Fundadora, e receberam a inspiração da imagem de Maria Imaculada do Espírito Santo.
+
Pe. Henrique e Pe. Antonello e os irmãos Maria Paola e Dílson começaram uma quarentena para discernimento, que terminou em 12 de dezembro, III Domingo do [[Advento]] do [[Natal]] do Ano Santo, Ano da Misericórdia: era a festa de N. Sra. de Guadalupe, Rainha e Padroeira das Américas, dos pequenos, dos sofridos e oprimidos. Compreenderam, então, que a Imaculada do Espírito Santo era a verdadeira Mãe Fundadora, e receberam a inspiração da imagem de Maria Imaculada do Espírito Santo.
  
  
Linha 11: Linha 23:
  
  
Em 15 de agosto de 2005 (Festa da Assunção de Nossa Senhora), Dom Cláudio Hummes, então Cardeal Arcebispo de São Paulo, aprovou o estatuto do Movimento como Associação Privada de Fiéis Aliança de Misericórdia. Nossa missão é nos tornarmos expressão viva do Amor Misericordioso, que brota do coração do nosso Deus através da sua Igreja, para com os mais pobres material e espiritualmente.
+
Em 15 de agosto de 2005 (Festa da Assunção de Nossa Senhora), [[Dom Cláudio Hummes]], então Cardeal Arcebispo de São Paulo, aprovou o estatuto do Movimento como Associação Privada de Fiéis Aliança de Misericórdia. Nossa missão é nos tornarmos expressão viva do Amor Misericordioso, que brota do coração do nosso Deus através da sua Igreja, para com os mais pobres material e espiritualmente.
  
  

Edição atual tal como às 09h23min de 12 de fevereiro de 2010

O Movimento Eclesial Aliança de Misericordia é uma Associação Privada de Fiéis, com sede na Arquidiocese de São Paulo, capital, cuja identidade se encontra em sua Palavra de Vida.O movimento está presente em 36 cidades do Brasil e outros 3 países (Bélgica, Itália e Portugal), através da adesão dos membros a um dos Elos de pertença.


No âmbito religioso a Aliança de Misericórdia acolhe e une as forças de homens e mulheres, celibatários e casados, leigos e clérigos, que, de várias formas e níveis, chamados por Deus, tornam-se “filhos da misericórdia” para evangelizar as ovelhas perdidas (cf. Lc 15, 4-7), confiantes na potência do Espírito Santo, realizando todas as obras de Misericórdia que as próprias forças permitirem.


Junto aos trabalhos de evangelização, o Movimento realiza diversas obras sociais junto à população carente das periferias e ruas, conjugando harmoniosamente evangelização e caridade como faces de uma só moeda, e sendo reconhecida juridicamente como entidade de utilidade pública em âmbito municipal, estadual e federal. Para maiores detalhes consulte o site específico.


Histórico

De 15 de outubro a 1º de novembro de 1999, o Senhor confirmou o chamado que impulsionaria o início desta obra, confiando como Palavra de Vida a passagem de Is. 61, 1ss. No dia de Todos os Santos, Ele nos fez intuir as cores do arco-íris como sinal de uma nova Aliança de Misericórdia, que se desdobrava nas várias expressões do Amor, pelos diferentes dons do Espírito. Compreendemos que era uma obra para a santificação de todos e que a santidade seria nossa primeira vocação, à luz das Bem-Aventuranças (cf. Mt 5, 1-12).


Pe. Henrique e Pe. Antonello e os irmãos Maria Paola e Dílson começaram uma quarentena para discernimento, que terminou em 12 de dezembro, III Domingo do Advento do Natal do Ano Santo, Ano da Misericórdia: era a festa de N. Sra. de Guadalupe, Rainha e Padroeira das Américas, dos pequenos, dos sofridos e oprimidos. Compreenderam, então, que a Imaculada do Espírito Santo era a verdadeira Mãe Fundadora, e receberam a inspiração da imagem de Maria Imaculada do Espírito Santo.


Confirmados em seu chamado pelo então bispo auxiliar da Região Ipiranga da Arquidiocese de São Paulo, Dom Gil Antônio Moreira, os quatro, com outros irmãos, reuniram-se em retiro de 31 de dezembro a 9 de janeiro, em Atibaia (SP). Na madrugada de 1° de janeiro de 2000, apresentaram a Maria, Mãe da Igreja e da Misericórdia, o seu “SIM”. É o nascimento da Aliança de Misericórdia, desde logo um movimento eclesial, pela presença de sacerdotes e leigos, homens e mulheres, solteiros e casados, cujos membros aderem ao mesmo carisma de formas diferentes e em vários níveis.


"Vocês falam de sonho, mas eu vejo que já é realidade e que seus corações batem ao uníssono com que Jesus está querendo de sua Igreja aqui em São Paulo e com o que o nosso Pastor, Dom Cláudio Hummes, nos pede: uma nova evangelização a partir dos mais pobres. O vosso lema será Evangelizar para Transformar, para transformar o evangelizado em evangelizador”, nos disse Dom Gil.


Em 15 de agosto de 2005 (Festa da Assunção de Nossa Senhora), Dom Cláudio Hummes, então Cardeal Arcebispo de São Paulo, aprovou o estatuto do Movimento como Associação Privada de Fiéis Aliança de Misericórdia. Nossa missão é nos tornarmos expressão viva do Amor Misericordioso, que brota do coração do nosso Deus através da sua Igreja, para com os mais pobres material e espiritualmente.


Somos chamados a uma vida de oração e ação, ação evangelizadora e de promoção humana. Para colocar esta missão em prática, o Movimento promove encontros querigmáticos e carismáticos, de conversão, para os que estão afastados da Igreja, especialmente os jovens, sobretudo através do JAM (Jovens da Aliança de Misericórdia), dos Thalita Kum, dos Ruah, dos Caná. Ao mesmo tempo, desenvolve ações para dar real oportunidade de reinserção na sociedade aos marginalizados, sejam moradores de rua, residentes em favelas ou pessoas em alguma situação de risco. O mais importante é que resgatem a sua própria vida e de seus mais próximos.


Referência