Comunidade bethânia

De Wiki Canção Nova
Revisão de 09h57min de 25 de junho de 2008 por Ariane (discussão | contribs)
Ir para: navegação, pesquisa

A Comunidade Bethânia nasceu de um desejo que o Espírito Santo colocou no coração do padre Léo scj, a partir de sua própria experiência como sacerdote, trabalhando no Colégio São Luiz, em Brusque (SC).

Os consagrados e consagradas da Comunidade Bethânia fazem votos de pobreza, castidade e obediência; vivem e convivem em união fraterna, no trabalho comunitário, na vida em oração e na formação permanente.

Ser consagrado ou consagrada na comunidade Bethânia é mais do que dar o melhor de si para o outro que acolhemos, é se dar em plenitude ao outro, é um ato de doação incondicional, é se responsabilizar imediatamente pelo Filho ou Filha que acolhemos.

Ser Bethânia é crer e assumir que quando acolhemos um Filho ou uma Filha desfigurados pela dependência, acolhemos o próprio Cristo.

Quem é padre Léo?

Tarcísio Gonçalves Pereira – mais conhecido como padre Léo –, nasceu no dia 9 de outubro de 1961, em Delfim Moreira (MG), filho de Joaquim Mendes e Maria Nazaré. Veio de uma família simples e sempre quis ser padre. Entrou para a Renovação Carismática Católica (RCC) em 1973. Era músico, cantor, compositor, apresentador, pregador e escritor. Aos 12 de outubro de 1995, fundou a Comunidade Bethânia, que, hoje, conta com mais de 30 membros e 5 casas espalhadas pelo Brasil, cuja missão é restaurar jovens dependentes químicos, portadores de HIV e marginalizados em geral.

Essa missão começou quando padre Léo atendia jovens envolvidos com drogas e se sentiu chamado a ajudá-los de forma mais completa. Irreverente e profundo em suas pregações, atraía milhares de pessoas em todos os encontros que promovia, pois era grande conhecedor das Sagradas Escrituras.

Escreveu 7 livros pela Editora Canção Nova e 14 pela Loyola. O último, recentemente lançado no ‘Hosana Brasil 2006’, intitula-se “Buscai as Coisas do Alto”, escrito durante o tratamento, período em que se submetia a sessões de radioterapia e quimioterapia. Sempre com bom humor e entusiasmo pela vida, o sacerdote dehoniano começou o tratamento contra o câncer em abril de 2006 e, mesmo debilitado, esteve presente no ‘Hosana Brasil 2006’ em dezembro, visivelmente abatido pelo longo tratamento, fez uma surpreendente pregação.